Significado de cabo eleitoral: Quem são e o que fazem

Provavelmente, você já ouviu falar sobre cabos eleitorais. Mas você sabe quem são e como eles podem influenciar uma campanha política?

Fique atento a este artigo para aprender mais sobre esses importantes agentes políticos! Os cabos eleitorais podem ser a arma que está faltando para você conquistar o seu cargo eletivo tão desejado!

O que são cabos eleitorais?

Cabos eleitorais representam um grupo de pessoas que, ordenados por um líder político que pretende se eleger, buscam por eleitores e pessoas dispostas a ajudar o candidato nos períodos da campanha e pré-campanha eleitoral.

De maneira geral, cabos eleitorais são pessoas dispostas a apoiar uma determinada candidatura política, podendo ser ou não filiados ao partido do candidato.

Nesse sentido, o cabo eleitoral possui grande importância na campanha de qualquer político, uma vez que atua como intermediário entre o candidato e os eleitores.

Essa importância será cada vez maior à medida que o poder de influência desse apoiador for se expandindo. Caso o cabo eleitoral seja alguém respeitado na esfera regional que ocorrerá a eleição, um número considerado de pessoas levará a sua opinião em conta, permitindo, assim, que a base de eleitores do político ou partido se amplie.

Com toda essa relevância, o candidato que deseja se destacar deve prestar atenção a algumas questões antes de escolher os seus apoiadores que terão em mãos uma maior responsabilidade com a sua imagem. Verificar o perfil, a relevância política e a experiência do cabo é essencial.

Quais os tipos de cabos eleitorais e como eles podem ajudar o político?

Apesar de não haver uma classificação para os cabos eleitorais, pode-se organizá-los de acordo com a função que estão passíveis de exercer em uma campanha política.

Por exemplo: um cidadão comum pode panfletar a favor do candidato que pretende ajudar ou tentar convencer seu ciclo social a votar. Um radialista pode aproveitar seu horário de transmissão para comentar a respeito de um amigo que está concorrendo a algum cargo eletivo. Também é muito comum que existam pessoas que buscam apoiar alguma candidatura de sua região, para eleger um vereador que tenha origem em seu bairro. Esse envolvimento político é característico de líderes comunitários regionais.

Percebe-se que existem inúmeras formas de atuação de um cabo eleitoral e essa ajuda fica sempre condicionada ao que está no alcance de suas ações.

Há ainda cabos eleitorais que são também políticos apoiando outros estadistas. Na maior parte dos casos, esses representantes são do mesmo partido ou de partidos próximos, com os mesmos interesses. Esse envolvimento é muito comum, visto que aumenta a influência da agremiação em questão.

Por mais que o papel específico de cada cabo eleitoral varie, a função geral é de angariar votos e apoio para o candidato. A recomendação que fica para todos é: tenha proximidade com as pessoas que estejam trabalhando na campanha, assim é possível ter maior acesso a materiais de divulgação, saber o dia a dia do candidato e desenvolver estratégias mais efetivas.

Independentemente do seu ofício ou posição social, nesse momento, o que vale é a intenção de ajudar o político que você apoia ou defende a sair vencedor no dia da votação.

Qual a remuneração de um cabo eleitoral?

Depois de entender o que são cabos eleitorais, fica o questionamento se eles podem ou não serem pagos.

Em um primeiro momento, pensamos naqueles apoiadores que estão ajudando os políticos ou partidos simplesmente por concordarem com a sua ideologia de governo, dessa forma não precisariam de remuneração. Entretanto, no nosso cenário político, esses apoiadores podem atuar de graça ou serem contratados.

Em linhas gerais, as pessoas que desejam atuar nas campanhas de forma eventual ou por intenção própria o fazem de forma voluntária. Esse grupo de “voluntários”, apesar de representar grande parte dos cabos eleitorais, na maioria das vezes, não chega a ter ligação direta com o candidato e não recebem pela ajuda prestada.

Já os demais, que, costumeiramente, tem alguma relação com o candidato ou são filiados ao partido, podem receber remuneração. Em alguns casos, o atuante pode chegar a receber um salário fixo durante o período da campanha ou pré-campanha.

Levando em conta o nível de influência que alguns desses agentes tem na campanha, é compreensível que recebam por conta do auxílio e benefícios gerados ao candidato.

Qual o limite de gastos com os cabos eleitorais?

A Justiça eleitoral não define em lei o valor máximo a ser pago aos cabos eleitorais, porém estabelece limites em relação ao total dos gastos de campanha. Ultrapassar esse limite pode caracterizar abuso de poder econômico.

Bens e serviços entregues ou prestados ao candidato não representam os gastos eleitorais e representam doação.

Para quem for trabalhar como cabo eleitoral, lembre-se: é importante saber que todo o pagamento deve ser feito de forma oficial. Todo valor pago “por fora” caracteriza o crime de “caixa 2” e pode resultar em sérios problemas ao candidato, assim como para quem recebe esse recurso.

Para saber mais sobre o funcionamento de uma campanha eleitoral e as regram que a cercam, clique aqui.

Quais as regras envolvendo a contratação desses cabos eleitorais?

Agora que já sabemos quem são, o que fazem, e quanto ganham os cabos eleitorais em nosso país, vamos falar sobre o que um cabo eleitoral pode ou não fazer.

Apesar de existirem regulamentações regionais, cada uma com sua especificidade, algumas regras gerais limitam a ação dos apoiadores.

Como os próprios candidatos, os cabos eleitorais são proibidos de oferecer benefícios indevidos aos eleitores, como prometer dinheiro, presentes ou empregos em troca do apoio nas urnas. Essas práticas representam compra de votos, que é visto pela justiça eleitoral como um crime eleitoral grave.

Ademais, é proibido pelo Governo que cabos eleitorais responsáveis pela panfletagem entreguem folhetos que definem a imagem dos demais candidatos.

Regras de contratação de cabos eleitorais.

Aos políticos e partidos, também foram estabelecidas algumas regras que regulam a contratação de cabos eleitorais. A principal norma limita o número de apoiadores por número de habitantes no município.

A Lei 12891/13, que ficou conhecida como Minirreforma Eleitoral, aponta que nos municípios com até 30 mil eleitores, cada candidato pode ter o equivalente a 1% da população em número de cabos eleitorais, ou seja, em um município com 30 mil eleitores, o candidato pode contratar até 300 cabos eleitorais.

Nos municípios com maior número de votantes, fica permitido aos candidatos adicionar um cabo a mais para cada mil habitantes que excederem os 30 mil iniciais. Por exemplo: se um município possui 60 mil habitantes, ele tem 30 mil eleitores excedendo o valor inicial. Ou seja, o candidato pode contratar trinta cabos eleitorais a mais para as eleições, sendo assim seu limite passa a ser de 330 apoiadores.

Além disso, segundo a Minirreforma, no momento da prestação de contas da campanha, os candidatos que contratarem cabos eleitorais precisam discriminar esses apoiadores com a indicação dos seus respectivos números de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).

Vale lembrar algo que já foi dito acerca de valores pagos de forma “extra”, não sendo devidamente registrados nos balanços financeiros da campanha: essa pratica caracteriza “caixa 2” e pode causar sérios problemas judiciais tanto para o candidato, quanto para o cabo eleitoral.

Tem alguma dúvida?

Caso tenha ficado alguma dúvida, nos pergunte nos comentários abaixo. A equipe do Instituto Opus, especializada em pesquisas eleitorais, ficará feliz em ajudá-lo!

Caso queira entender melhor sobre outros assuntos relacionados à política, acompanhe nosso blog! Você com certeza achará outros artigos interessantes clicando aqui.

Para mais informações, fique à vontade para conversar com um de nossos especialistas!

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo